Porto Maravilha: custos públicos e benefícios privados?

Fonte: Blog da Raquel Rolnik em 13/6/11

A partir de hoje, a gestão dos serviços públicos em parte da região portuária do Rio de Janeiro começará a ser feita pelo Consórcio Porto Novo (formado pelas empresas OAS, Odebrecht e Carioca Engenharia). Ao longo de 15 anos, o consórcio receberá R$ 7,6 bilhões da prefeitura para o investimentos em obras e para a realização de serviços como coleta de lixo, troca de iluminação e gestão do trânsito na região.

Além disso, como parte da operação urbana Porto Maravilha – como é chamado o projeto de revitalização da zona portuária do Rio –  a prefeitura realizou hoje o leilão dos Cepacs (certificados de potencial adicional construtivo) da área. O Fundo de Investimento Imobiliário Porto Maravilha, da Caixa Econômica Federal, arrematou todos os títulos por R$ 3,5 bilhões. Cada um dos 6,4 milhões de cepacs foi vendido por R$ 545.

O curioso é que a maior parte dos terrenos que fazem parte da operação urbana Porto Maravilha, que ocupa uma área de 5 milhões de m², são terras públicas, principalmente do governo federal, que foram “vendidas” para a prefeitura do Rio, a partir de avaliações feitas por… ? Pela própria Caixa que, agora, através do Fundo que ela mesma criou, com recursos do FGTS que ela administra, buscará vender os cepacs no mercado imobiliário para construtoras interessadas em construir na região.

Ou seja, estamos diante de uma operação imobiliária executada por empresas privadas, mas financiada, de forma engenhosa, com recursos públicos em terrenos públicos. Continuamos sem saber onde estão os benefícios públicos desta PPP (Parceria-Público-Privada).

Leia mais sobre este assunto na página do jornal O Globo e na Folha Online.

About these ads

8 respostas em “Porto Maravilha: custos públicos e benefícios privados?

  1. Pingback: #Eblog, muito mais que virtual: Anticapitalista e libertário «

  2. Pingback: #Eblog, muito mais que virtual: Anticapitalista e libertário | Setorial de Comunicação e Cultura do PSOL

  3. Pingback: #Eblog, muito mais que virtual: Anticapitalista e libertário | Uniao Campo Cidade e Floresta

  4. Pingback: #Eblog, muito mais que virtual: Anticapitalista e libertário « Argila da Palavra

  5. Pingback: Eblog « Fragmentos Ativos Notícias

  6. Pingback: #Eblog, muito mais que virtual: anticapitalista e libertário « Educação Ambiental Crítica

  7. Pingback: #Eblog, muito mais que virtual: anticapitalista e libertário « Nós

  8. Pingback: #Eblog, muito mais que virtual: Anticapitalista e libertário « Cirandeiras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s